Arquivo | Veganismo RSS feed for this section

Queijo Vegano do Fábio

8 jan

Queijo Vegano

Ingredientes:

– 1 xícara de polvilho doce
– 1 xícara de polvilho azedo
– 2 colheres de sopa de purê de mandioquinha
– 2 xícaras de água
– 6 colheres (de sopa) de azeite de oliva ou óleo
– sal à gosto (+/- 1 colher de sopa)

Preparo:

Bater no liquidificador ou processador a mistura de água com os polvilhos, o sal, o azeite e a mandioquinha. Esprema um pouco de meio limão. Passar a mistura (que fica bem líquida mesmo) para uma panela antiaderente e, no fogo alto, ficar mexendo até que forme uma massa dura e se desprenda totalmente da panela (não pode parar de mexer (demora uns 3 minutos até que endureça)Depois disso retire essa massa, dê a forma que quiser e retorne ao fogo baixo pra dourar os lados. Deixar 1 dia na geladeira antes de consumir.
.-.-.-.-.-

Anúncios

Ellen, em La Paz

8 jan

Leia abaixo, a inspiradora mensagem da Ellen.

Olá CicloVeguers!!!
Como estao todas e todos? Espero que bem, que estejam com muitas forcas para chegar aqui em La Paz!
Chegamos (eu e o Federico) em La Paz hoje (07-12) de manhazinha, e o clima está lindo; saimos a caminhar de camiseta hehe, isso me alegra muito porque pensei que ia estar muito mais frio! Ainda estou cansada, mas Henry e Clu nos receberam muito bem na casa deles, almocamos, dormimos um pouco e nao paramos mais de falar do Encontro. Amanha cedinho vamos ir conhecer e pagar o sítio que foi alugado para o Encontro.
Conto a voces, que fiquem tranquilos, essa semana já teremos todos os dados do que precisarao, os enderecos, etc.
Escrevi um relato que ficou meio grande, mas tem alguns dados que talvez seja interessante que leiam – clique aqui
Concluí que é sim bastante importante saber o básico de español, já que esqueca a comunicacao em outro idioma, que nao seja o español ou o aymará. Hoje o taxista nao entendia o que o Federico falava, por causa do sotaque argentina, imaginem…
Outra coisa; pode ser que também nao tenham mais passagem de trem. Peguem o ônibus mesmo. Mas averiguem bem qual ônibus é, para nao passarem mal na viagem (mal no sentido de incômodo). Averiguem quanto estará o cambio, antes de cambiarem na primeira casa de cambio que encontrem. Nao se usa real na Bolivia.
E se puderem, comprem comidinhas, porque nas paradas que o ônibus fizer, com sorte conseguirao arroz com batata, se conseguirem pedir em español, e explicar que nao querem carne hehehe

Bom chicos, espero que continue tudo bem, vamos nos falando, agora que estou aqui, fica mais fácil para tirar as dúvidas e etc.

muitas beijocas,
ellen

…………………..

Botucatu

29 dez

Como o grupo encontrava-se cansado, todos acordaram tarde e após algumas divagações sobre o horário de partida, optamos por tirar o dia de descanso aproveitando tudo o que a república tinha a nos oferecer, e assim lavamos as roupas, cozinhamos e descansamos um pouco mais.

O cardápio do dia foi um Gaspaccio, arroz integral com azeitonas, castanha-do-pará, quinoa e sementes de girassol, e de sobremesa banana com xerém, coco ralado e melado à base de milho. Para o lanche, tivemos um pão caseiro com tomate seco, azeitona e castanha-do-pará.

No final do dia, passeando pela cidade, comemos um açai e encomendamos para a janta umas pizzas veganas, num local que se prontificou a fazer a massa sem ovos. Durante este passeio, conhecemos o Fernando, que tocava violão na praça e durante a conversa, descobrimos que ele também é ciclista e vegetariano. Iria se unir ao grupo para nos acompanhar no dia seguinte até Bauru.

dist= 98,41 km

Fotos:

4º dia: Botucatu-SP

Bazar Vegano

13 dez

Ontem rolou o Bazar Vegano. Delicoso. Comida boa, produtos e pessoas lindas. De fato estava muito quente, e não foi só pelo calor humano. Mas foi muito bom.

Veja algumas as fotos aqui.

Bazar Vegano (Re-post)

10 dez


Para quem procura presentes de natal diferenciados, ligando o consumo consciente à uma causa legítima (ecologia, proteção animal, vegetarianismo).

Artesanato | Livros | Roupas | Calçados | Cosméticos.

Presença de Ongs de Vegetarianismo e Direitos dos animais.

Feira de trocas e Palco das Dádivas onde qualquer pessoa pode deixar ou pegar qualquer objeto, leve suas oferendas (em bom estado) e escolha suas dádivas.

E Claro, muita comida vegana, Doces, salgados e bebidas veganas a venda durante todo o bazar.

Ah, o CicloVeg também vai ter uma banquinha de produtos que contribuirão para nossa viagem, aparece lá.

Jantar Beneficiente ao Encontro de Libertação Animal

7 dez

Moqueca de Tofu
com arroz, salada germinada
preparados por Alan Chaves e Luisa Pereira

R$10,00 o prato

bate-papo sobre o Encontro de Libertação Animal que acontecerá na Bolivia, de 20 a 24 de Janeiro de 2011.

prosa com os participantes do  CicloVeg – ciclo-pedalador@s – vegan@s que sai de SP rumo ao Encontro de bicicleta!

exibição de curtas e animações latinoamericanas

No Espaço Impróprio
Rua Dª. Antônia de Queiros, 40 – Consolação | SP

-.-.-.-

Na cozinha.

29 nov

Antigamente as casas tinhas grandes cozinhas, lindas e arejadas, as famílias se reunião, para juntas cozinhar. Hoje, vivendo nessas grandes gaiolas, as cozinhas são pequenas, e servem apenas para esquentar uma comida barata que descongela e fica pronta em cinco minutos no microondas, porque afinal tudo é tão urgente que não podemos perder tempo cozinhando.

Rubem Alves diz que para ele, a cozinha é o lugar mais importante da casa. Na cozinha as pessoas são o que realmente são, diferentes da pose e postura da sala de estar. Concordo com ele, na cozinha tudo é mais vivo, orgânico. Quando cozinhamos juntos, compartilhamos ideias, sonhos e alegrias.

Assim foi o jantar Cicloveg deste sábado. O que deveria ter sido uma oficina colaborativa e jantar, tornou-se um jantar colaborativo, todo mundo na cozinha, descascando legumes e ideias, cozinhando macarrão e sonhos, tudo junto.

O cheiro de gengibre deixou todo mundo com o coração mais leve, foi como antigamente, no bom sentido é claro, nem tudo de antigamente era bom, mas algumas coisas como cozinhar junto e fotografar com polaróide traziam paz e alegria.

A Casa da Lagartixa Preta é como antigamente, pé-direito alto, grandes janelas, quintal com horta e o mais importante uma bela cozinha onde todo mundo se encontrou, trabalhou, converssou e riu. Mais importante que a casa, claro, era quem estava lá, gente simples e alegre, com essa ideia maluca de viajar para longe e espalhar esse sonho de liberdade por ai, e mesmo quem não vai, se divertiu, comeu e compartilhou desse momento.

Algumas pessoas não puderam ir, por coincidência a festa de aniversário do CicloCidade aconteceu no mesmo dia, mas não é algo para ficar triste, muito pelo contrario, que bom que a bicicleta está tão importante que ganha dois eventos tão bacanas no mesmo dia. Ficaria feliz em descobrir que lá também tinha uma cozinha.